20 de nov de 2010

Já entendi que eu não vou mudar o mundo, mas eu queria. Eu acho que todo mundo tem obrigação de querer isso. Pois é, mas quase ninguém tem, já me encheram muito o saco porque eu queria, apesar de eu ter tido as melhores invenções.

A gente vive mesmo num mundo hipócrita, era disso que eu tava falando quando eu disse que achei que ia mudar o mundo, hoje eu já entendi que eu não mudo, é hipócrita mesmo, é isso, as pessoas fazem social, as pessoas falam uma coisa e fazem outra, as pessoas falam mal umas das outras e se dão as mãos e se cumprimentam...
Eu ando analisando por que eu tenho determinados problemas na minha vida a tanto tempo, problemas, leia-se, vulnerabilidades digamos assim, quanto a ser humano. Coisas de infância, insegurança, coisas de pai, por quê que nas relações eu cometo as vezes os mesmos erros... Eu to lá me analisando como ser humano e buscando uma melhora, e eu amo fazer análise, porque eu sou muito prática. Eu não tenho a menor vergonha e sei que fazendo isso eu só vou melhorar a minha vida e a vida dos que me cercam. Então assim, tenho sede de melhora, tenho sede de evolução, quero cada dia que passa alcanaçar mais essa tranqüilidade, me desestabilizar menos com os problemas externos. Tanta gente morrendo de fome, tanta doença no mundo. Por quê que as vezes coisas tão pequenas, umas discursões ou uns comentários que você ouve te desestabiliza?


Eu fiquei bem calejada com isso.


Na análise eu tenho tentado entender, por que essa imagem tão diferente do que eu sou, por que que as pessoas tem essa imagem tão diferente do que eu sou na verdade?
É que eu sou atrevida, porque eu sou dona do meu nariz, é que eu sou assertiva. Isso me descrevendo de maneira positiva, poderia fazer isso de maneira pejorativa, que é o que normalmente as pessoas tem atrelado a minha imagem. Por que que as pessoas me acham prepotente e eu tenho um trabalho tão grande com humildade, eu realmente sou humilde... Mas é que eu acabo tendo essa posição com as pessoas que invadem o meu espaço e eu não permito isso, e eu não faço social.
Claro que eu já bati boca, mas hoje eu não faço mais isso, eu não tenho a menor condição de fingir, eu não conseguiria colocar a cabeça no travesseiro. Por que ser tão doce e as pessoas terem essa impressão, por que eu deixo venderem essa imagem tão distorcida ao meu respeito?


Por que?


Também não to interessada em achar respostas agora, afinal, são essas dúvidas que me fazem querer ir pra frente e ser um ser humano melhor!!!!


O beijo,


Manu


2 comentários:

Juçara disse...

Oi Manu, vc ainda não me conhece virtualmente, acredito eu! Mas eu já te admiro só em ler os seus textos e pela sua história.
Assim como vc tb sou mãe solteira. O meu bb ainda não veio ao mundo, na verdade ele está se desenvolvendo a cada dia.
Vi que vc é bailarina e coreógrafa eu dancei durante muito tempo jazz e balé isso me fez identificar ainda mais contigo.
Descobri o seu blog por intermédio de uma amiga, dai por diante me interessei em fazer um blog.
Espero manter contato contigo.
Grande beijo
Juçara/SP

Emanuella Julião disse...

Olá Juçara... me desculpe a demora em responder, mas é que só ontem eu vi que tinha que moderar mais de 40 comentários!! Que bom que de alguma forma te ajudei e te incentivei viu? Me escreva um email pra emanuelajuliao@ig.com.br e manteremos contato. Beijo